Terça-feira, 18 de Novembro de 2008

A Liberdade

Tenho um cão em casa. De raça “vira-lata” é um animal muito simpático, meigo, ternurento, alegre, sociável.

 

Mas como qualquer animal, foi concebido pelo Supremo da Criação para viver no seu meio, para viver em liberdade.

 

À noite, quando o levo à rua antes de se deitar, o Snoopy, fica contentíssimo por ser eu a desempenhar tal tarefa.

E porquê?...

 

É que se for eu, levo-o sem trela. Levo-o a passear para um descampado. E isto tem a ver não só com a aparente sensação de liberdade que o bicho deve sentir , como ainda pela privacidade que lhe concedo.

 

Ou seja, qualquer das minhas filhas, leva-o pela trela, com medo dos carros, não se afastam da porta de casa, porque têm medo da noite e porque temem outros cães que possam aparecer.

 

Pelo contexto, ainda o canito era pequeno, mas já era o segundo que tinha, imaginei umas TRETAS e tudo o que a elas estava ligado.

 

Imaginei-me em casa do meu melhor amigo, e de repente…

 

- Oh João, onde é a casa de banho?

- Estás aflito?...

- Sim, estou.

- “Bora” lá abaixo.

- Trazes casaco?

- Espera aí, não abras a porta, tenho de te por a trela, por causa dos vizinhos.

- Está aqui a argola da coleira…

- Pronto, já está.

- João, podemos ir ao descampado, ou ficamos aqui no jardim ao lado da porta?...

- Se não fugires para a estrada podemos ir ao descampado… ei!.. espera, não puxes senão vamos os dois pela escada abaixo!

- “Tou” aflito, pá.

- Calma…

- ….

- João, deixa-me ir à vontade.

- Não que tu és maluco e depois foges.

- Eh pá, deixa-me fazer aqui uma mijinha!...

- Não podes, pá, “tas” doido?.. Não vês que é o canteiro das rosas da vizinha rabugenta?

- Bolas!... mas a tua vizinha do 3º andar fez aqui!....

-Não me interessa, o descampado é já ali.

- Pronto, está bem!…

- Chegámos.

- Deixa-me ir ali abaixo…

- É melhor não que está escuro.

- Eh pá, não dá jeito nenhum estar a fazer xixi, contigo a olhar!...

- Eu não comento, vá, faz lá que está um frio do caraças.

- Já está.

- Vamos embora?

- Ainda não terminei. Tenho de fazer uma cagada!

- Faz aqui, vá.

- Não dá!... tenho de encontrar a latrina certa!

- Não me chateies, tem de ser aqui.

- Bolas!... e continuas a olhar para mim?

- O que é que queres?...

- Chica, pá!... Olha, dá só mais um bocadinho de trela para apanhar aquele tufo que está ali mesmo a pedi-las.

- humm, hããã, humm, uff!... Já está

- Óptimo, vamos embora para casa.

- posso ir sem trela?...

- Nem penses.

- ... Mas porque é que o meu dono não chegou a horas?....

 

publicado por Tretoso_Mor às 13:38
link do post | comentar esta TRETA | ver comentários (54) | favorito
Quinta-feira, 12 de Junho de 2008

Acabou a TRETA dos piquetes de greve!

Finalmente terminou a saga dos piquetes dos camionistas.

 

Acho muita piada quando vejo os grevistas, invocando descriminação, insurgirem-se contra as entidades patronais, sejam públicas ou privadas, quando estas pedem a lista das presenças no trabalho em dias de greve.

 

TRETAS, meus senhores!...

 

Claro que têm de as pedir, para saber quem fez greve, pois como os sabem, são descontados os dias de ausência por esse motivo.

 

Continuo a rir-me quando aparece um conjunto de empresários, à revelia da associação a que aderiram, a propor uma “greve” com as seguintes condições:

1 – Aos camionistas, seriam descontados os dias de greve;

2 – Todos os transportadores são obrigados a fazer greve;

3 – Depois de carregados os camiões, muitos com produtos alimentares perecíveis, poderão parar as viaturas.

 

Começam a estar todos loucos!....

 

Felizmente, alguém acordou a tempo e explicou que a greve não era dos camionistas, mas das transportadoras.

Ainda gostaria de saber se no fim do mês, os camionistas vão receber o ordenado por inteiro, mais as horas extraordinárias provocadas pela paragem, tendo-os obrigado a permanecer junto das viaturas para garantir a carga.

 

Mas há duas TRETAS que ainda ninguém explicou:

1 – Quem vai agora indemnizar os empresários que viram os seus produtos deteriorar-se por causa desta iniciativa?

2 – Onde está afinal a nossa liberdade, quando OBRIGAM os outros a parar, danificando as viaturas quando não obedecem? (porque isto para mim, não foi greve nenhuma)

 

Este acontecimento só revela que vivemos num país da TRETA, onde a liberdade só serve para as conveniências individuais, ou de grupos restritos.

 

Deixem-se de TRETAS e cheguem-se à frente, para dizer como vão ressarcir quem saiu prejudicado desta contenda.

Ah!... Já agora, os senhores transportadores, até nem conseguiram aquilo que queriam!..

 

O pano de fundo era o gasóleo profissional!

 

 

publicado por Tretoso_Mor às 11:01
link do post | comentar esta TRETA | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre o Tretoso_Mor

.pesquisar nesta TRETA

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.TRETAS recentes

. A Liberdade

. Acabou a TRETA dos piquet...

.arquivos da TRETA

. Junho 2010

. Março 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.links de TRETAS

.contador da TRETA

online

.Prémios

Premio Bluevelvet
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSTag liberdade