Terça-feira, 19 de Maio de 2009

Os sacrifícios das Empresas

 

 

 

O Jornal da TRETA apurou que a Nike, conhecida marca desportiva, vai ter de despedir 1750 trabalhadores na Europa. Presumimos que seja para poder suportar o contrato publicitário que firmou com o CR7 (o nosso Cristiano Ronaldo), no valor de 28 milhões de euros.

 

publicado por Tretoso_Mor às 19:52
link do post | comentar esta TRETA | ver comentários (12) | favorito
Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

A crise financeira em Portugal e a sua solução.

Crise financeira

Pensem lá comigo só uma coisa, para ver se esta TRETA faz sentido.

 

Os Americanos apanharam uma “gripe” económica do caraças, estando nós portugueses a temer, desde já, que possamos vir a contrair uma pneumonia.

 

A profilaxia adoptada foi umas injecções de capital no sistema financeiro, o qual, funciona para qualquer economia como o sistema linfático do corpo.

 

A malta, do lado de cá do Atlântico, na Real República do Troca-o-Passo, resolvemos seguir a mesma política de actuação dando uma dose mais pequena, não só porque temos um corpo mais pequeno, mas principalmente porque ainda nem sequer começámos a espirrar.

Mas como o seguro morreu de velho, disseram-nos os radiologistas e outros especialistas, vá de começar já a dar umas injecções.

 

Entretanto pus-me cá a pensar umas TRETAS…

Nos EUA, a falência técnica dos Bancos, um dos órgãos mais sensíveis do “corpo económico”, acontece com 4% de incobráveis. Os tipos ainda estavam na média dos 3,5%, valor já acima do limiar de segurança para o órgão não entrar em colapso (3%), mas com previsões de, no final do ano chegar aos 6%.

Aqui na nossa Real República, andaremos acima dos 16% de incobráveis, tendo já vivido este País à beira-mar plantado com 22% de incobráveis, sem nunca ninguém se atrever a falar de falências ou colapsos!...

 

Continuando eu com as minhas TRETAS, estranhei que, mesmo sem o Banco Central da Real República ter apresentado projecções para esse indicador (taxa de incobráveis para os Bancos a operar na Real República, o que aliás até tem sido assunto tabu entre nós), aparecessem os Bancos a reclamar um tratamento idêntico, através de umas injecções do mesmo produto usado nos EUA. Quer dizer, não bastava que o Governo lhes purificasse o ar, ou aumentasse a temperatura exterior aquecendo a economia. Tinha de ser mesmo uma entrada intravenosa.

 

Estranho!....

Bom, isto parece estar a tomar um caminho interessante, ou seja, os nossos médicos (gestores) começam a tomar medidas preventivas (por antecipação), em vez de curativas (por reacção). Não é mau, mas não é normal!...

 

Ei!...

Entretanto lembrei-me de outra coisa.

Vem aí o QREN.

 

Alto!...

QREN quer dizer balão de oxigénio (dinheiro para renovação e modernização)!...

 

Espera!....

A maior fatia é para o Estado por a respirar directamente a Administração Central, outras Entidades Públicas, o sector empresarial do Estado, o desenvolvimento regional e, indirectamente, algumas empresas do sector privado.

Ou seja, embora a minha opinião seja uma TRETA, acho que a malta vai receber uma pipa de massa para fazer uma operação….Plástica!... Claro que só pode ser uma TRETA de uma opinião, considerando historicamente os benefícios que se retiraram da aplicação dos fundos comunitários, durante anos!...

Mas voltando ao que interessa, todo este processo de renovação e modernização vai ser executado por alguém. Entidades externas terão de fazer o trabalho, logo, terão de primeiro encher bem os pulmões de ar fresco (investimento, designação económica), para fazer face à apneia a que se vão sujeitar, pois todos sabemos que as facturas para o Estado têm data de emissão, só não têm o ano do recebimento!...

 

Calma!....

Então, quem vai fazer o trabalho tem de comprar umas “garrafinhas de oxigénio” (financiamento) para suportar esta TRETA.

A forma mais comum de comprar estas “garrafinhas”, será através da Banca.

 

Caramba!....

Vêm aí eleições.

Daqui por um ano e meio as Autárquicas e a seguir as Legislativas.

O trabalho tem de ser feito sem pôr em causa o cumprimento dos prazos. As Plásticas de maior impacto (Obras Públicas e os grandes projectos de modernização) terão de estar concluídas a tempo da “passagem de modelos”. A campanha eleitoral é uma verdadeira feira de vaidades de quem pode gastar o erário público.

 

Ora aí está!....

Vai realizar-se o Concurso “Moda Real República do Troca-o-Passo”.

O Organizador e Produtor do concurso garante toda a logística requerida face ao que tem sido necessário em anos anteriores.

O Concurso “Moda Real República do Troca-o-Passo” já tem datas marcadas.

Os Governantes querem concorrer e ganhar o concurso.

Já contrataram as meninas para passar os modelos.

Precisam das meninas com a saúde imaculada.

Precisam das meninas com aparência escultural.

O Organizador e Produtor acordou os custos com os tratamentos e as operações.

 

Mas….

O organizador do concurso, os Bancos, à ultima hora…. Dizem que… Ah e tal, como o concurso se vai realizar à noite… Precisamos de um adiantamento para os tratamentos e para as operações.

Ah!... E já agora!... Como é de noite, precisamos também de comprar mais iluminação.

 

Será que foi uma TRETA esta minha dedução?....

 

publicado por Tretoso_Mor às 10:43
link do post | comentar esta TRETA | ver comentários (35) | favorito

.mais sobre o Tretoso_Mor

.pesquisar nesta TRETA

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.TRETAS recentes

. Os sacrifícios das Empres...

. A crise financeira em Por...

.arquivos da TRETA

. Junho 2010

. Março 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.links de TRETAS

.contador da TRETA

online

.Prémios

Premio Bluevelvet
blogs SAPO

.subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSTag crise financeira